da chegada das caravelas

06
Nov 15

O primeiro-ministro timorense visitou hoje o local onde uma equipa de uma empresa portuguesa está a construir a primeira clínica especial polivalente do enclave de Oecusse, que deverá estar operacional em Março de 2016.

 

O primeiro -ministro timorense visitou o local onde está a ser construido a primeira clínica especial polivalente em Oecusse. Foto: Gabinete do Primeiro-Ministro


Rui Maria de Araújo, acompanhado pelo responsável da autoridade regional do enclave de Oecusse, Mari Alkatiri, visitou o local no final da sua visita esta semana a Oecusse, durante a qual constatou os progressos dos vários projectos em curso.

 

Desenhada pelo grupo Interway, a clínica está a ser instalada por uma equipa de cerca de 50 elementos, dos quais 11 portugueses, com a primeira fase prevista para final do mês quando Oecusse acolhe as celebrações dos 500 anos da chegada dos portugueses a Timor-Leste.

 

A Clínica Especial Polivalente do Oecusse, preparada para 24 camas e seis quartos VIP, inclui uma unidade completa de meios de diagnóstico, além das áreas de consulta geral, urgências, bloco operatório, central de oxigénio, salas de estabilização e todo o serviço de consultas externas de várias especialidades (radiologia, ecografia entre outros.

 

 

Está ainda prevista uma farmácia e um laboratório completo de análises clínicas, com tecnologia moderna, que incluirá tratamento de resíduos e autonomia energética.

 

Trata-se de um dos projectos aprovados pela Zona Especial de Economia Social de Mercado (ZEESM) no âmbito de um amplo programa de investimento público da Região Administrativa Especial de Oecusse, Ambeno, e do Governo timorense.

 

Este ano foram já canalizados para a região cerca de 90 milhões de dólares, estando previstos cerca de 200 milhões para 2016, com vários projectos estruturais a decorrer, incluindo uma central eléctrica, aeroporto, estradas e pontes e projectos de irrigação, entre outros.

 

Fernando Figueiredo, sócio-gerente da empresa Interway, responsável pelo projecto destacou ao chefe do Governo timorense, a vontade de "responder ao desafio" colocado pelo presidente da região, Mari Alkatiri, apostando na "diferenciação" e na vontade de "criar uma melhor qualidade de vida para todos os timorenses, sem excepção".

 

"Neste projecto, no próximo dia 28 encontrarão 1.300 metros quadrados de área coberta, correspondente à primeira fase e que estará totalmente operacional em finais de Março de 2016", disse.

 

A clínica está a ser instalada no que será um quase ‘campus da saúde' previsto no novo plano urbano de Pante Macassar, a capital do enclave de Oecusse-Ambeno, que regista há vários meses movimento sem precedentes, devido aos vários projectos em curso.

 

Desde que está em Timor-Leste, a Interway já injectou na economia local "cerca de meio milhão de dólares", disse Fernando Figueiredo, acrescentando que a empresa "acredita no projecto da economia social de mercado" que está a ser desenvolvido na região.

 

Com o investimento em Timor-Leste, o grupo Interway junta mais um Estado-membro da CPLP ao seu universo empresarial, depois de projectos em Angola, Brasil, Guiné Equatorial, Moçambique e Portugal, a que se somam ainda projectos em Espanha e Emirados Árabes Unidos.

 

Fundado em 2003 e com sede em Lisboa, o grupo actua como plataforma de negócios focalizada no desenvolvimento e implementação de projectos e procura de novas oportunidades, em mercados emergentes.

 

A Interway TL é a primeira empresa de capital português registada em Oecusse, onde estão a operar várias companhias portuguesas, a maioria a fiscalizar os grandes projectos de infraestruturas.

 

A empresa prevê reinvestir os seus resultados em Timor-Leste em 2016, num novo projecto totalmente de investimento privado no país.

 

com Lusa

publika husi sapotl às 14:18

Novembru 2015
Dom
Seg
Ter
Kua
Kin
Ses
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
20
21

22



arkivu
tags

tags hotu-hotu

konaba ba ha'u
Peskiza
 
blogs SAPO