da chegada das caravelas

27
Nov 15

Hosi António Sampaio (Ajénsia Lusa)

Responsável hosi rejiaun autónomu timoroan Oecusse nian, Mari Alkatiri, defende iha loron-sesta ne'e investimentu sira ne'ebé hala'o daudaun iha teritóriu, hodi subliña benefísiu ekonómiku lalais, maibé mós sosiál sira, iha prazu badak.

 


Bainhira investe iha infraestrutura sira, lukru ne'ebé sei hetan lalais maka infraestrutura rasik. Hafoin lukru ekonómiku ne'e, ita sei iha lukru sosiál", nia hatete, iha deklarasaun sira ba Lusa, iha fatin ne'ebé harii daudaun ponte foun iha mota Tono nia leten.

Nune'e Alkatiri hatán ba krítika sira ba investimentu hosi Governu nian iha rejiaun, ida ne'ebé foun maka liuhosi bispu Baucau nia lian, Basílio do Nascimento, ne'ebé refere ona ba osan ne'ebé gasta daudaun.

Mari Alkatiri - responsável hosi Rejiaun Administrativu Espesiál no hosi Zona Espesiál Ekonomia Sosiál Merkadu nian (ZEESM) - ne'ebé lakohi hatán diretu ba krítika sira afirma katak "tempu maka sei hatudu" impaktu hosi investimentu sira.

"Iha tinan ne'e de'it, iha tempu badak, ita iha dolár millaun haat iha reseita sira, maski iha períudu ida ne'ebé labele iha reseita sira, só gasta de'it. Ha'u la fiar iha milagre sira. Ha'u fiar iha kapasidade ba lideransa no jestaun, la'ós iha milagre sira", nia hatete.

"Ami aposta iha lukru ekonómiku, maibé mós iha sosiál. Bainhira populasaun prodús iha fatin ida no ho ponte bele lori nia produsaun orgániku ba portu no aeroportu, ne'e iha benefísiu ekonómiku no finanseiru maibé mós sosiál sira", nia hatete.

Mari Alkatiri iha loron-sesta ne'e akompaña Prezidente Repúblika, Taur Matan Ruak, no primeiru-ministru Rui Maria de Araújo iha vizita ida ba obra prinsipál rua ne'ebé hala'o daudaun iha zona, barajen ida no projetu irigasaun no ponte iha mota Tono.

"Bainhira hahú projetu infraestrutura urbanu sira tenki hanoin ona iha dezenvolvimentu hosi área suburbanu no rurál", hatete.

Obra hosi barajen, ne'ebé iha osan dolár millaun 11, no hahú halo ona iha fulan-Janeiru 2015, hanesan fuan hosi projetu ida ne'ebé boot hosi irigasaun ne'ebé sei fó benefísiu liu ba rai ho hektár 1.700 no ba família rihun resin ne'ebé moris hosi agrikultura iha zona.

Barajen ne'ebé harii iha mota Tono, la hamosu enerjia elétriku maibé aproveita époka udan nian, hodi kanaliza liuhosi kanál sira ne'ebé sei halo irigasaun ba kampu sira ne'ebé Mari Alkatiri hatete katak bele prodús foos ho kualidade di'ak, inkluzive ba exportasaun.

Harii ona metade hosi estrutura betaun armadu ho naruk metru 200, ne'ebé sei kontrola bee ne'ebé sei lori liuhosi kanu ho kilómetru 29 ne'ebé harii iha besik mota.

Tuirmai, sei avansa ho obra no sei sai hanesan ponte boot liu iha Timor-Leste, projetu ida ne'ebé hakarak tulun ba produsaun, iha zona barajen nian no irigasaun nian, bele sai fásil liu ba Oecusse no sai hosi enklave.

Ponte, ne'ebé iha folin dolár millaun 17, iha metru 360, arku tolu no asesu ho metru 30 no 40.

"Ami halo buat hotu kordenadu no integradu. Ezijénsia dahuluk ne'ebé ha'u halo ba konstrutór sira no inspetór sira hosi obra maka hetan kota ida komun no hahú hosi kota ne'e maka halo buat sira seluk, hodi labele akontese estrada aas liu duké aeroportu", nia fó ezemplu.

Obra sira ne'ebé vizitadu maka hanesan infraestrutura prinsipál rua ne'ebé halo daudaun iha enklave Oecusse, ne'ebé ohin no loron-sábadu sei simu komemorasaun sira hosi tinan 500 bainhira portugés sira to'o iha Timór no aniversáriu 40 hosi proklamasaun unilaterál ba independénsia Timor-Leste nian.

Delegasaun hosi nasaun oioin sei hamutuk ho individualidade prinsipál timoroan sira nian no ema millaun resin sei asisti iha enklave ba selebrasaun sira.

publika husi sapotl às 13:04

Por António Sampaio (Agência Lusa)

O responsável da região autónoma timorense de Oecusse, Mari Alkatiri, defendeu hoje os investimentos que estão a ser feitos no território, sublinhando os benefícios económicos imediatos, mas também sociais, a médio prazo.

 


"Quando se investe nas infraestruturas, o retorno imediato são as próprias infraestruturas. Depois desse retorno económico, teremos o retorno social", disse, em declarações à Lusa, no local onde está a ser construída a nova ponte sobre a ribeira de Tono.

Alkatiri respondeu assim a críticas ao investimento do Governo na região, a mais recente das quais pela voz do bispo de Baucau, Basílio do Nascimento, que se referiu às verbas avultadas que estão a ser gastas.

Preferindo não responder diretamente às críticas, Mari Alkatiri - responsável da Região Administrativa Especial e da Zona Especial de Economia Social de Mercado (ZEESM) de Oecusse-Ambeno - afirmou que "o tempo mostrará" o impacto dos investimentos.

"Só este ano, em pouco tempo, teremos quatro milhões de dólares de receitas, mesmo num período em que não deveria haver receitas, só despesas. Eu não acredito em milagres. Acredito na capacidade de liderança e de gestão, não em milagres", disse.

"Estamos a apostar no retorno económico, mas também no social. Se a população produzir num lado e com a ponte puder levar a sua produção orgânica para o porto e aeroporto, isso tem benefícios económicos e financeiros, mas também sociais", disse.

Mari Alkatiri acompanhou hoje o Presidente da República, Taur Matan Ruak, e o primeiro-ministro, Rui Maria de Araújo, numa visita a duas das principais obras que estão a ser feitas na zona, uma barragem e projeto de irrigação e a ponte sobre a ribeira de Tono.

"Quando se iniciam projetos de infraestruturas urbanas deve-se pensar já no desenvolvimento da área suburbana e rural", disse.

A obra da barragem, orçada em 11 milhões de dólares, e que começou a ser feita em janeiro de 2015, é o coração de um projeto mais amplo de irrigação que beneficiará mais de 1.700 hectares de terreno e mais de mil famílias que vivem da agricultura na zona.

Construída na ribeira de Tono, a barragem não gera energia elétrica mas aproveita o caudal da época das chuvas, canalizando por longos canais que irrigarão os campos onde Mari Alkatiri diz pode ser produzido arroz de maior qualidade, inclusive para exportação.

Já está construída metade da estrutura de betão armado de 200 metros de comprimento, que vai controlar o fluxo da água, que será guiada por mais de 29 quilómetros de caudal construído ao longo da ribeira.

Mais adiante, está a avançar a obra do que será a maior ponte de Timor-Leste, um projeto que pretende ajudar a que a produção a montante, na zona da barragem e da irrigação, posse a ser mais facilmente escoada para Oecussse e para fora do enclave.

A ponte, que custará 17 milhões de dólares, tem 360 metros de vão, três arcos e cerca de 30 a 40 metros de acesso.

"Estamos a fazer tudo coordenado e integrado. A primeira exigência que fiz aos construtores e inspetores das obras é encontrar uma cota comum e a partir dessa cota é que se faz tudo o resto, para não acontecer a estrada estar mais alta que o aeroporto", exemplificou.

As obras visitadas são duas das principais infraestruturas que estão a ser feitas no enclave de Oecusse, que acolhe hoje e sábado as comemorações dos 500 anos da chegada de portugueses a Timor e o 40.º aniversário da proclamação unilateral da independência de Timor-Leste.

Delegações de vários países juntam-se às principais individualidades timorenses e a milhares de pessoas que convergiram no enclave para as celebrações.

publika husi sapotl às 12:22

Jerasaun timoroan nian hafoin tinan 1999 ne'ebé halo debate no diskursu iha lian portugés. Haree vídeo tuirma ne'e:

 

publika husi sapotl às 12:09

Agostinho da Silva, alunu hosi eskola sekundária ida besik Ermera, iha Timor-Leste, moris iha tinan 1999 no ohin loron, klaru ho lia-portugés no presiza, ho lian joven polítiku, nia defende importánsia hosi edukasaun ba futuru timoroan sira-nian.


Foto: Epifânio Sarmento

 

Diskursu, ida hosi diskursu barak ne’ebé aprezenta hosi alunu sira hosi eskola hotu iha nasaun, halo parte iha konkursu debate ho lia-portugés mak integra iha komemorasaun tinan 500 bainhira portugés sira tama iha Timor-Leste.

 

"Iha loron 25 abril 1974, Timor-Leste moris iha nakukun laran, katak la iha edukasaun. Eziste de’it pontu naroman balun", hatete joven ne’e hodi refere ba líder istóriku nasaun nian balun: Nicolau Lobato, Xavier do Amaral, José Ramos-Horta, Mário Carrascalão no Mari Alkatiri.

 

Joven ne’e hosi primeira jerasaun ne’ebé moris iha Timor-Leste livre hosi prezensa koloniál portugeza ka okupasaun indonézia no maski iha difikuldade barak, hatudu esforsu autoridade timoroan  sira-nian iha ensinu portugés iha nasaun.

 

Maski estatístika la dun klaru, hatudu ona katak númeru hosi joven sira ne’ebé ko’alia portages sa’e, lian ne’ebé bandu atu ko’alia iha Timor-Leste durante okupasaun indonézia no fila fali ba nasaun.

 

Sira hotu ne’ebé horisehik sa’e ba palku iha Palaban – ne’ebé iha sábadu Tony Carreira no Tito Paris sei sa’e- sira ne’e hosi jerasaun ne’e no reprezenta sá mak lideransa timoroan sira hakarak komemora selebrasaun sira mak halo ema barak, famoza ka ladun famoza ba Oekusi.

 

Objetivu mak selebra marka sira ne’ebé kontaktu ho Portugál no portugés sira husik hela iha identidade timoroan, iha lian, maibé mós iha relijiaun, hanesan hatudu ohin iha serimónia krizma iha ne’ebé ema 1.200 simu bensaun hosi bispu Basílio do Nascimento, iha Igreja Parókia Nossa Senhora do Rosário nia sorin.

 

Enklave iha ne’ebé iha tinan 500 liubá primeiru portugés to’o ba, ohin loron hanesan destinu ema barak nian iha Timor-Leste, ho anónimu, responsável timoroan no konvidadu internasionál sira to’o iha rejiaun ba selebrasaun sira iha sesta-feira no sábadu.

 

Taur Matan Ruak, xefe Estadu, no eis-prezidente Repúblika José Ramos-Horta to’o horisehik ho fragata Betano, komanda hosi responsável komponente navál Forsa Defeza Timor-Leste nian, kapitaun fragata Hijino das Neves.

 

Betano ho nia 'feton', Jaco, doasaun hosi Portugál, halo viajen durante oras lima entre Portu Hera, ba leste Dili nan, no ba portu Oekusi, iha ne’ebé, iha kuarta-feira ne’e primeiru-ministru, Rui Maria de Araújo, no membru sira hosi nia komitiva to’o ho kareta.

 

Ho aviaun, Twin Otter 400 ba pasajeiru 19 - primeiru aviaun Timor-Leste nian, sosa hosi autoridade rejionál Oekusi – to’o ema dezena, inklui sira kuaze na’in 30 ne’ebé sei simu Orden Timor-Leste nian.

 

Prinsipál VIP sira ne’ebé sei marka prezensa iha sesta-feira no horisehik halo hotu preparativu iha otél balun, balun improvizadu liu, iha ne’ebé sei simu ema barak tebes ne’ebé molok ne’e seidauk akontese Oecusse.

 

Programa ofisiál komesa iha loron-kinta dadeer ho inaugurasaun ba ró bronze ida ne’ebé halo iha Vila Nova de Gaia, iha Lifau, tasi-ibun iha ne’ebé navegadór portugés sira tama iha tinan 500 liubá.

 

SAPO TL ho Lusa

publika husi sapotl às 02:30

Por António Sampaio da agência Lusa

 

Agostinho da Silva, aluno de uma escola secundária próximo de Ermera, em Timor-Leste, nasceu em 1999 e hoje, em português claro e preciso, em tom de jovem político, defendeu a importância da educação para o futuro dos timorenses.


Foto: Epifânio Sarmento

 

O discurso, um de vários apresentados por alunos de escolas de todo o país, fazia parte de um concurso de debates, em português, integrado nas comemorações dos 500 anos da chegada de portugueses a Timor-Leste.

 

"A 25 de abril de 1974, Timor-Leste vivia na escuridão, aliás, sem educação. Existiam apenas alguns pontos de luz", disse o jovem, referindo-se a alguns dos líderes históricos do país: Nicolau Lobato, Xavier do Amaral, José Ramos-Horta, Mário Carrascalão e Mari Alkatiri.

 

O jovem é da primeira geração a nascer em Timor-Leste livre da presença colonial portuguesa ou da ocupação indonésia e que, ao mesmo tempo e apesar das dificuldades, demonstra os esforços das autoridades timorenses para o ensino do português no país.

 

Apesar de as estatísticas serem pouco claras, evidencia-se um crescente número de jovens a falar português, uma língua praticamente proibida em Timor-Leste durante a ocupação indonésia e que vai regressando ao país.

 

Todos os que hoje à tarde subiram ao palco de Palaban - onde no sábado cantam Tony Carreira e Tito Paris - são dessa geração e representam o que a liderança timorense quer assinalar com as celebrações que levaram a Oecusse, por estes dias, milhares de pessoas, mais ou menos famosas.

 

O objetivo é celebrar as marcas que o contacto com Portugal e portugueses deixou na identidade timorense, visíveis na língua, mas também na religião, como se evidenciou hoje na cerimónia de crisma em que 1.200 pessoas receberam a bênção do bispo Basílio do Nascimento, ao lado da Igreja da Paróquia de Nossa Senhora do Rosário.

 

O enclave onde há 500 anos chegaram os primeiros portugueses é hoje o destino de muitos em Timor-Leste, com anónimos, responsáveis timorenses e convidados internacionais a chegarem à região para as celebrações de sexta-feira e sábado.

 

Taur Matan Ruak, chefe de Estado, e o ex-presidente da República José Ramos-Horta chegaram hoje, a bordo da fragata Betano, comandada pelo responsável do componente naval das Forças de Defesa de Timor-Leste, o capitão de fragata Hijino das Neves.

 

A Betano e a sua 'irmã', a Jaco, doadas por Portugal, fizeram a viagem de cinco horas entre o Porto de Hera, a leste de Díli, e o porto de Oecusse, onde, na quarta-feira, por terra, chegou o primeiro-ministro, Rui Maria de Araújo, e vários membros da sua comitiva.

 

Por avião, no Twin Otter 400 para 19 passageiros - o primeiro avião de Timor-Leste, comprado pela autoridade regional de Oecusse - chegaram dezenas de pessoas, incluindo quase 30 que vão receber a Ordem de Timor-Leste.

 

Os principais VIP são esperados na sexta-feira e hoje ainda se ultimam preparativos nos vários hotéis, alguns mais improvisados, onde se vai instalar o que é uma enchente sem precedentes para Oecusse.

 

O programa oficial começa na manhã de quinta-feira com a inauguração, de uma caravela em bronze, feita em Vila Nova de Gaia, em Lifau, a praia onde há 500 anos chegaram os navegadores portugueses.

 

@LUsa

publika husi sapotl às 02:14

Novembru 2015
Dom
Seg
Ter
Kua
Kin
Ses
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
20
21

22



arkivu
tags

tags hotu-hotu

konaba ba ha'u
Peskiza
 
blogs SAPO