da chegada das caravelas

26
Nov 15

Hosi António Sampaio (Ajénsia Lusa)

Investimentu sira ne'ebé hala'o daudaun iha Oecusse hanesan konkretizasaun hosi mehi ida ba timoroan sira no rekompensa ida ba povu hosi enklave ne'ebé nunka husik luta ba independénsia, hatete ohin hosi Prezidente Repúblika.


 

"Hanesan konkista boot ida ba ita, liutiha tinan 500. Fatin ne'e, Oecusse, halibur ema portugés no timoroan sira, dala ida tan iha ne'e, hodi halo festa ba inísiu hosi projetu boot ida, hosi mehi boot ida timoroan sira nian no liuliu hosi povu Oecusse nian", hatete hosi Taur Matan Ruak iha deklarasaun sira ba Lusa.

 

"Hanesan dala ida hodi rekompensa mós esforsu sira no dedikasaun sira nian. Mantén firmi no determinadu nafatin, luta hamutuk ho parte boot Timór nian ba independénsia. Hanesan povu ida ne'ebé iha espíritu ida, nasionalizmu ida, patriotizmu ida ne'ebé la kompara", nia afirma.

Taur Matan Ruak ko'alia ba Lusa hafoin vizita tiha sentrál eletriku foun iha Sakato, Oecusse, ne'ebé to'o iha loron-kinta ne'e hodi partisipa iha serimónia sira ba tinan 500 bainhira portugés sira to'o iha Timor-Leste no deklarasaun ba proklamasaun independénsia nian. "Pasadu sai ona hanesa referénsia, lisaun, hodi kaer prezente no buka futuru di'ak ida ba ita nia povu no nasaun", nia hatete.

Xefe Estadu vizita ona sentrál akompaña hosi prezidente Parlamentu Nasionál, primeiru-ministru Rui Maria de Araújo no hosi responsável Rejiaun Administrativu Espesiál no hosi Zona Espesiál Ekonomia Sosiál Merkadu nian (ZEESM) hosi Oecusse-Ambeno, Mari Alkatiri.

Sentrál hanesan projetu ida ne'ebé implementa hosi ZEESM, iha modelu ida ne'ebé sei hanesan teste iha Timor-Leste no inklui forma foun sira hodi hala'o obra públiku sira, ho fiskalizasaun maka'as, no projetu sira ne'ebé integradu hosi dezenvolvimentu.

"Ami aprende daudaun no perfeisaun sei hetan iha prosesu rasik dezenvolvimentu nian, liuliu iha tempu ne'ebé kompetisaun boot entre nasaun sira ne'ebé hakarak dada investidór sira ba sira nia nasaun. No Timór lakohi lakon jigu ne'e, iha kompetisaun boot entre nasaun sira", afirma hosi Taur Matan Ruak. "Ne'e hanesan projetu-pilotu ida ne'ebé bele halo fali. Buat hotu depende hosi dalan oinsá ita jere no dezenvolve projetu ne'e iha ne'e", nia hatete.

Taur Matan Ruak fó hanoin katak iha "polo dezenvolvimentu sira seluk", hanesan iha kosta-súl iha área petrolíferu nian maibé tenki iha "ekilíbriu ida" entre dezenvolvimentu hosi zona urbanu sira no zona rurál sira ne'ebé sei iha problema sira.

Individualidade sira seluk, ne'ebé iha ona Oecusse ba komemorasaun sira loron 27 no 28 Novembru, vizita mós sentrál ne'ebé garanti ona fornesimentu elétriku tomak ba enklave.

"Parabéns ba projetu ne'ebé lori benefísiu boot ba povu Oecusse nian", nia hatete iha Mari Alkatiri nia sorin.

Sentrál, ne'ebé hahú harii ona iha Fevereiru 2015 no iha kapasidade instaladu ho 17 MW, funsiona de'it ho motór ida hosi motór haat, ho ida seluk halo ba rezerva bainhira iha problema. Motór ne'e hanesan sufisiente ba tempu agora tanba iha máximu 2 megawatt, hanesan esplika ba ajénsia Lusa hosi Tapio Ostman, responsável hosi konstrusaun unidade nian.

Ho orsamentu dolár millaun 37 sentrál ne'e harii hosi empreza PT Wartsila Indonézia, sosiedade ida hosi grupu finlandés Wartsila, ne'ebé iha loron 13 liubá asina ona ho ZEESM kontratu ida operasaun no manutensaun nian durante tinan lima.

Bainhira kontratu hotu, ZEESM sei analiza ba renovasaun ho Wartsila, ne'ebé sei forma ekipa timoroan sira ka sei entrega ba jestór sira seluk.

Konsumu hosi rejiaun sei aumenta maka'as bainhira funsiona infraestrutura sira seluk ne'ebé harii daudaun, liuliu aeroportu ne'ebé sei uza 4 megawatt.

publika husi sapotl às 14:33

Por António Sampaio (Agência Lusa)

 

Os investimentos que estão a ser feitos em Oecusse são a concretização de um sonho para os timorenses e uma recompensa para o povo do enclave que nunca abandonou a luta pela independência, disse hoje o Presidente da República.


 

"É uma grande conquista para nós, 500 anos depois. Este sítio, Oecusse, junta portugueses e timorenses, novamente aqui, para festejar o início de um grande projeto, de um grande sonho dos timorenses e em particular do povo de Oecusse", disse Taur Matan Ruak em declarações à Lusa.

 

"É uma forma também de recompensar os esforços e dedicação deles. Sempre se mantiveram firmes e determinados, lutando lado a lado com a parte maior de Timor para a independência. É um povo que tem um esprito, um nacionalismo, um patriotismo incomparável", afirmou.

 

Taur Matan Ruak falava à Lusa depois de visitar a nova central elétrica de Sacato, em Oecusse, onde chegou hoje para participar nas cerimónias dos 500 anos da chegada de portugueses a Timor-Leste e do 40.º aniversário da proclamação de independência. "O passado serve de referência, de lição, para encarar o presente e buscar o futuro melhor para o nosso povo e nosso país", disse.

 

O chefe de Estado visitou a central acompanhado do presidente do Parlamento Nacional, do primeiro-ministro Rui Maria de Araújo e do responsável da Região Administrativa Especial e da Zona Especial de Economia Social de Mercado (ZEESM) de Oecusse-Ambeno, Mari Alkatiri.

 

A central é um dos projetos implementados pela ZEESM, num modelo que está a ser testado em Timor-Leste e que inclui novas formas de realizar obras públicas, com mais fiscalização, e projetos integrados de desenvolvimento.

 

"Estamos a aprender e a perfeição busca-se ao longo do próprio processo de desenvolvimento, sobretudo numa altura de grande competição entre os países que procuram atrair investidores para os seus países. E Timor não quer perder neste jogo, nesta grande competição entre os países", afirmou Taur Matan Ruak. "Este é um projeto-piloto que pode ser replicado. Tudo vai depender da forma como vamos gerir e desenvolver este projeto aqui", disse.

 

Taur Matan Ruak relembrou que há outros "polos de desenvolvimento", como os da costa sul no setor petrolífero, mas que é necessário um "equilíbrio" entre o desenvolvimento das zonas urbanas e das zonas rurais onde ainda há problemas.

 

Várias outras individualidades, que estão em Oecusse para as comemorações de 27 e 28 de novembro, visitaram também a central que está já a garantir todo o fornecimento elétrico ao enclave.

 

"Parabéns por este projeto que traz grandes benefícios ao povo de Oecusse", disse, ao lado de Mari Alkatiri.

 

A central, que começou a ser construída em fevereiro de 2015 e tem uma capacidade instalada de 17 MW, está a funcionar apenas com um dos quatro motores, com um outro de reserva para o caso de haver problemas. Esse motor é suficiente para a procura atual que atinge um máximo de 2 megawatts, como explicou à Lusa Tapio Ostman, responsável pela construção da unidade.

 

Com um orçamento de 37 milhões de dólares a central foi construída pela empresa PT Wartsila Indonésia, uma sociedade do grupo finlandês Wartsila, que no passado dia 13 assinou com a ZEESM um contrato de operação e manutenção durante 5 anos.

 

Findo esse contrato, a ZEESM analisará se renova ou não a concessão com a Wartsila, que vai formar já equipas timorenses, ou se a entrega a outros gestores.

 

O consumo da região deverá aumentar significativamente quando estiverem a funcionar outras infraestruturas já a ser construídas, nomeadamente o aeroporto que, por si só consumirá cerca de 4 megawatts.

publika husi sapotl às 13:42

Novembru 2015
Dom
Seg
Ter
Kua
Kin
Ses
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
20
21

22



arkivu
tags

tags hotu-hotu

konaba ba ha'u
Peskiza
 
blogs SAPO