da chegada das caravelas

17
Set 15

 

 

“Foi aqui que nasceu Timor-Leste”, diz um cidadão de Oecússi, no monumento de Lifau, que assinala a chegada dos primeiros colonizadores portugueses à ilha, em 18 de agosto de 1515.

 

O monumento foi construído durante o tempo da ocupação indonésia, que em Oecússi ocorreu a 29 de novembro de 1975, e é um “símbolo da resistência à ocupação”, explicou.

 

“Aqui também é Portugal”, é uma das frases inscritas no monumento de Lifau, que este ano volta a ser o centro de Timor-Leste, quando se assinalarem os 500 anos da chegada dos portugueses, antiga potência colonizadora.

 

Quase 500 anos depois, um outro monumento, mais pequeno, foi construído em Pante Macassar, a capital de Oecússi, a cerca de seis quilómetros de Lifau. Uma lápide, iluminada, assinala o desenvolvimento prometido para o berço do país com o lançamento da primeira pedra para o início da implementação do projeto-piloto para a criação da Zona Especial de Economia Social de Mercado, liderado pelo antigo primeiro-ministro timorense Mari Alkatiri.

 

“A escolha de Oecússi é um pouco como voltar à história”, afirmou à agência Lusa Mari Alkatiri. “Assim como Timor-Leste começou em Oecússi, o desenvolvimento de Timor-Leste vai começar em Oecússi para se estender ao resto do país”, sublinhou o também secretário-geral da Frente Revolucionária do Timor-Leste Independente (Fretilin).

 

 

publika husi sapotl às 12:00

Setembru 2015
Dom
Seg
Ter
Kua
Kin
Ses
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
18
19

20
22
23
24
25
26

27
28
30


arkivu
tags

tags hotu-hotu

konaba ba ha'u
Peskiza
 
blogs SAPO